18 de março de 2013 •

Vi Por Ai ~ Apegados - Lançamento Novo Conceito

Oie gente!!!

Olha só que legal esse lançamento da Novo Conceito!!



Autores: Amir Levine; Rachel S. F. Heller
Titulo: Apegados
Editora: NOVO CONCEITO 
Ano: 2013
Edição: 1
Número de páginas: 304
Tema: AUTOAJUDA
Lançamento: 28/03/2013
Sinopse: Cada vez mais fazemos uso da pesquisa científica para conquistar melhor qualidade de vida. Sabemos o que devemos ou não comer, conhecemos o tipo de exercício que devemos praticar e por quanto tempo devemos fazê-lo, aprendemos alternativas viáveis para conquistar o sono revigorante... No entanto, nossos relacionamentos amorosos, parte importante de nossa vida, não parecem tão avaliados e estudados. Geralmente temos a sensação de que essa coisa de amor é um assunto da sorte. 
Mas será possível que a ciência explique por que algumas relações são produtivas e enriquecedoras, enquanto outras nos deixam perturbados e alienados? Pode a ciência explicar como muitos criam vínculos amáveis sem esforço algum, enquanto outros têm que lutar tanto pelo amor? Para o psiquiatra Amir Levine e a psicóloga Rachel Heller, a resposta é um evidente “sim”. 
Em "Apegados" — livro baseado nas pesquisas da Teoria do Apego, de John Bowlby —, os autores revelam como compreender os mecanismos de afeição que se criam entre os adultos, o que certamente nos ajudará a encontrar e a manter o amor. 
Seja você do tipo “ansioso”, “seguro” ou “evitante”, Levine e Heller se encarregam de oferecer instrumentos suficientes para que você possa construir relações mais fortes e reparadoras com as pessoas que ama.


Trecho do Livro


Muito antes de a tecnologia de imagens do cérebro ser desenvolvida, John Bowlby compreendeu que nossa necessidade de ter alguém com quem compartilhar a nossa vida faz parte de nossa constituição genética, e não tem nada a ver com o quanto amamos a nós mesmos ou com quanto nos sentimos realizados individualmente. Ele descobriu que, uma vez que escolhemos alguém especial, forças poderosas e, com frequência, incontroláveis entram em jogo. Novos padrões de comportamento entram em ação e, neste momento, pouco importa nossa independência ou nossa vontade consciente. Uma vez que escolhemos um parceiro, não se discute mais se a dependência existe ou não. Ela sempre existe. 
Uma coexistência elegante que não inclui sentimentos desconfortáveis de vulnerabilidade e medo da perda soa bem, mas não está na nossa biologia. O que se provou, por meio da evolução, como sendo uma forte vantagem para a sobrevivência foi a possibilidade de um casal humano tornar-se uma unidade fisiológica, o que quer dizer que: se ela está reagindo, então eu estou reagindo; ou, se ele está abalado, isso também me abala. Ele é parte de mim, e eu farei qualquer coisa para salvá-lo; ter tamanho interesse investido no 
bem-estar de outra pessoa traduz-se numa vantagem muito significativa para a sobrevivência de ambas as partes.


Sobre os Autores



Dr. Amir Levine é psiquiatra de adultos, crianças e adolescentes e neurocientista. Formou-se no programa de residência do New York Presbyterian Hospital/Universidade de Columbia, onde, atualmente, é diretor de pesquisas em um projeto patrocinado pelo National Institutes of Health. O Dr. Levine mantém um consultório particular na cidade de Nova York, onde mora.












Rachel S. F. Heller é mestre em psicologia socio-organizacional pela Universidade de Columbia. Trabalhou como consultora gerencial para diversas corporações. Vive com o marido e três filhos em São Francisco.
















0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...