14 de dezembro de 2012 •

Conhecendo ~ Samanta Holtz - Série Autores Nacionais

Oie Gente.

Uma das melhores coisas em se ter um blog literário, é a oportunidade de conhecer esses autores maravilhosos!!



E essa autora de hoje é uma pessoa super especial, muito fofa mesmo!




Nascida no Dia Mundial do Livro, a publicitária e escritora Samanta Holtz parecia destinada a trilhar o caminho da literatura. Aprendeu a ler sozinha aos cinco anos, tamanha era sua vontade de entender as histórias que sua mãe lia para ela. Aos nove, ganhou um prêmio municipal de redação em sua cidade, Porto Feliz, interior de São Paulo. Aos quatorze, começou a escrever seu primeiro romance, “Renascer de um Outono”, seguido por “Corpo & Alma”, “O Pássaro” (com publicação em janeiro de 2012 pela editora Novo Século) e, finalmente,"Quero Ser Beth Levitt".


Com histórias românticas e cheias de surpresas, Samanta guia seus leitores por uma deliciosa viagem, levando-os das lágrimas ao riso em questão de capítulos. 



Quem já teve a oportunidade de falar com a Samanta sabe que eu não minto ao dizer que ela é super, super simpática, prestativa, realmente um amor de pessoa. E claro, super talentosa.
O seu romance publicado pela Novo Século faz sucesso com todos os seus leitores.






Sinopse: Caroline Mondevieu é filha de um poderoso Barão e tem tudo o que uma dama da época poderia querer: status, riqueza e um ótimo partido para se casar. Seus sonhos, no entanto, vão muito além de vestidos caros ou um bom marido; ela quer ser dona do próprio destino.

Sua vida muda completamente quando encontra Bernardo, um charmoso domador de cavalos que parece ter o dom de irritá-la. Eles não conseguem se entender até quando percebem que, para alcançar o sonho em comum da liberdade, terão que passar por cima das suas diferenças e se unirem num arriscado plano que promete transformar suas vidas para sempre.
Grandes emoções os aguardam em sua jornada; perseguição, mistérios, ciganos e o despertar de um sentimento que insiste em se manter escondido. Mas o que parece tão simples envolve muito mais magia e coincidências que eles podem imaginar, além da descoberta de segredos, até então, muito bem guardados.  






Era mais uma tarde em que se reuniam para o chá no jardim em frente à mansão dos Mondevieu. Enézio estava acomodado numa mesa circular junto às suas meninas, comportadas e com fitas nos cabelos, sua esposa, sempre muito discreta, e as visitas:
Fernão de La Frièt, duque e amigo da família, e seu filho, Filip, que completava nove anos de idade naquele mês de verão ameno.
– Volto a repetir, meu caro amigo – dizia o duque, após esvaziar mais uma xícara –, a cada vez que os visito, suas meninas parecem mais próximas a verdadeiras damas!
Elizabeth baixou o rosto corado, enquanto Caroline sorria com vontade perante o elogio. Enézio devolveu a gentileza referindo-se a Filip:
– Pois, se eu não conhecesse seu pequeno rapaz, diria que já está encaminhado aos mais nobres títulos da realeza! Não é, sir Filip?
Deu tapinhas amigáveis na cabeça do menino, deixando ecoar sua gargalhada bruta. Filip também sorria, embora não tivesse compreendido o comentário. Seu sorriso, no entanto, tinha outra fonte; era Caroline, que ria deliciosamente ao lado da calada irmã, divertindo-se com uma borboleta. Naqueles tempos, não era muito comum presenciar garotas rirem, e Caroline era uma alegre exceção.
Ela não imaginava o quanto maravilhava o jovenzinho, que a observava com um misto de admiração e encantamento a cada vez que seus lábios se esticavam num novo sorriso.
Assim seguia o chá no jardim, sob as fortes gargalhadas do anfitrião diante de qualquer novo causo ou mexerico, estendidas até depois do último riso ter-se cessado. Fazia comentários constantes e arregalava os olhos de entusiasmo, inchando mais a face gorda. Era um homem estimado, pois assim se fazia ser. Já em aspectos pessoais, era um grande esbanjador de ouro em luxos e novidades, adepto da fartura e dos excessos. Descrever Enézio era dividi-lo em dois: aquele que era, diante das visitas, uma companhia
exuberante e simpática; e o outro, tão contrário daquele, que apenas a família, calada e temerosa, conhecia. Partida a visita, calavam-se as risadas altas, dando lugar a frases curtas e imperativas. 
O sorriso se desfazia, emburrando a feição, que logo se tornava carrancuda e, muitas vezes, amedrontadora.



"Mas que ótima surpresa que foi "O Pássaro"! Ao começar a leitura, imaginava que seria um bom romance com uma boa protagonista, cujo maior desejo, como explicita a capa e o título, seria ser livre. O que eu não esperava era uma narrativa tão rica, tão bem construída... A narrativa foi tudo! Foi muito, muito mais do que eu esperava." ~ Ni Portela - Ninhada Literária.


"As reviravoltas e os segredos revelados nas partes finais da história também são de surpreender, isso sem contar o desfecho, totalmente inesperado, mas perfeitamente compreendido.Eu diria que o enredo deste livro tem a cara daquelas ótimas minisséries da Globo, que costumam passar no começo do ano! Eu assistiria com certeza!" ~ Lia - Verbo Ler

"O Pássaro é também um livro extremamente surpreendente. A cada capitulo a história se renova, são acrescentados sub-enredos que vão se encaixando e tornando a história complexa, inteligente. Ele não é só mais um romance histórico, nem só mais um puro romance. Mesmo durante a leitura essa é a sensação, ele sempre acaba se tornando mais do que o esperado.Não há, afirmo, um só leitor que não se renda ao encanto desse livro. Só o simples fato de de folheá-lo para escrever esta resenha já me deixa desejosa por uma releitura. Muito mais que fascinar e entreter com maestria, O Pássaro reafirma a qualidade de nossa literatura nacional." ~ Brenda - Catavento de Ideias

 Eu AINDA não li o livro, mas estou na fila do BookTour *.* Então vocês podem esperar porque no próximo ano terá resenha dele por aqui!

E que tal conhecermos ainda um pouco mais da Samanta?


Entrevista



AQC: Quando começou a sua paixão pela escrita?
SH: Começou na minha infância, quando, aos sete anos de idade, comecei a “fabricar” meus próprios gibis! Grampeava um monte de folhas sulfite e, nelas, criava meus quadrinhos com personagens próprios e historinhas que me vinham à cabeça. Meu sonho, nessa época, era trabalhar para o Maurício de Souza! Com o tempo, vieram as poesias, contos, reflexões... e, enfim, na adolescência, os romances!

AQC: Se você não fosse escritora, o que seria?
SH: Eu me formei em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) e, atualmente, trabalho meio-período em uma empresa (pois ainda não é possível, financeiramente, sobreviver dos meus livros). Adoraria trabalhar com redação publicitária, jornalismo ou em uma editora, com revisão ou no departamento editorial.

AQC: De onde vem suas principais inspirações para escrever?
SH: Muitas cenas e diálogos perfeitos surgem quando estou relaxando, ouvindo música ou tomando banho (sim, o banho é um momento propício para inspirações!). As histórias vêm em minha mente do nada; vão surgindo aos pouquinhos, um detalhe por dia, e simplesmente tomam forma sem pedir licença! Quando vejo, já tenho um pré-enredo prontinho para ser trabalhado. É delicioso e, se eu não sentar logo para escrever, meus personagens começam a me cobrar e pedir para saírem!

AQC: Em seu livro, há personagens inspirados em pessoas que fazem parte da sua vida? Se sim, cite algum.
SH: Não, não! São todos fictícios. No novo livro que estou escrevendo, agora, nomeei o protagonista masculino em homenagem ao meu priminho que vai nascer: Arthur. Mas é apenas o nome! Não gosto de associar personagens a pessoas, pois acho que isso bloqueia o processo criativo.

AQC: Como tem sido a recepção do público com seu livro?
SH: Maravilhosa, graças a Deus! As resenhas têm sido incrivelmente positivas e a repercussão do livro e do meu nome também. Estou feliz demais, realmente realizando um sonho!

AQC: Está trabalhando em algum outro projeto atualmente?
SH: Sim! Já concluí “Quero ser Beth Levitt” (https://www.facebook.com/QueroSerBethLevitt) e, agora, estou escrevendo um novo romance. Já tenho todo o “esqueleto” idealizado, começo, meio e fim, e estou desenvolvendo a narrativa. Também tenho planos de revisar meus primeiros romances, que concluí na adolescência, para deixar o texto mais lapidado, e começar outro romance relacionado a “Quero ser Beth Levitt”, que seria o romance que a protagonista lê, em minha história! O livro que a personagem lê :)

AQC: Quais são seus autores favoritos?
SH: Para romances, Nicholas Sparks e Mauricio Gomyde. Suspenses e policiais, Dan Brown. Chick Lit, a diva Sophie Kinsella (tenho TODOS os livros dela, já li todos, e amei todos!). 

AQC: O que você diria para o pessoal que está começando agora?
SH: Se você gosta muito de escrever e está pensando em seguir a carreira literária, antes de enviar seus originais para editoras, ouça as opiniões de pessoas sinceras e críticas, que irão lhe dizer o que realmente pensaram, pois elas serão uma amostra dos seus leitores. Ouça críticas, melhore o que perceber que pode melhorar e não tenha medo de trabalhar duro. Revise seu texto uma, duas, três, quatro vezes, se for preciso, mas só se satisfaça com o melhor. Quando sentir que está perfeito (e, claro, depois de registrar seu original), aí, sim, busque as editoras que têm seu estilo e envie seu material para análise. Pode ser que o SIM demore a vir... eu mesma tomei vários “nãos”, pois tentava logo as “gigantes” do mercado. Em partes, porque eu não era interessante para elas, por ser anônima. Por outro lado, porque meu texto também tinha muito a melhorar. Hoje, vendo “O Pássaro” como meu primeiro livro publicado, dou graças a Deus pelos nãos que recebi antes, pois meus livros anteriores realmente ainda não estavam perfeitos. Tenha fé em Deus, acredite que há um momento para tudo e cabe a nós agarrarmos as oportunidades que a vida traz, além de nos empenharmos em lapidar o Dom que Deus nos deu e trabalharmos nossa paciência para jamais desistir. Se é isso mesmo que você quer, NÃO DESISTA!

AQC: Agora um rápido quiz.

Um filme: Sociedade dos Poetas Mortos
Um livro: Delírios de Consumo de Becky Bloom
Uma série: Friends
Uma música: Reflections of Passion - Yanni
Uma frase: "Todas as coisas grandiosas que já aconteceram na humanidade começaram com um único pensamento na mente de alguém" - Yanni

AQC: Algum recado para o pessoal?
SH: Quero agradecer a todos que, diariamente, me apoiam, torcem por mim, me mandam mensagens carinhosas! Os blogs parceiros, os leitores, os amigos... o carinho de vocês é MUITO importante para mim, mais do que podem imaginar. Esse sonho realizado não seria o mesmo sem vocês!!!


Gostaram? Eu certamente adorei!
Obrigada Sam por ter participado dessa entrevista!

E vocês, já estão participando das promoções no blog? Não? Êlaiá meu povo! Vamos participar!!!
Dá uma conferida em todas as promoções ativas CLICANDO AQUI!




Espero que tenham gostado
Beijos

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...